Logon
Pacientes e Visitantes

Centro de Oncologia

Abordagem humanizada dos pacientes e alta tecnologia

​​​​​​​​​​A abordagem humanizada dos pacientes e a alta tecnologia aplicada ao diagnóstico e tratamento são os grandes diferenciais da Oncologia do Hospital São Lucas Copacabana. Além de ter uma equipe renomada de oncologistas clínicos, hematologistas e cirurgiões oncológicos, o hospital também conta com o apoio de enfermeiros, nutricionistas, psicólogos e fisioterapeutas especializados.

Dispomos de técnicas para resolução de diversos tipos de câncer, tanto de tumores sólidos quanto não sólidos. Já o nosso Centro de Infusão, localizado no Centro Médico da Gávea, concentra o atendimento ambulatorial ao paciente oncológico e está capacitado para administrar diversos tipos de medicamentos – como os imunossupressores, antibióticos e quimioterápicos, sendo uma das opções mais indicadas para o paciente dar seguimento ao seu tratamento após a alta-hospitalar. O espaço foi pensado para preservar a privacidade do paciente, que recebe a medicação em espaços individuais com acomodações para acompanhantes.

Grandes diferenciais da Oncologia HSL

  • Consultas ambulatoriais de diversas especialidades médicas em um mesmo local, o que permite um atendimento multidisciplinar mais ágil e integrativo, além de comunicação mais direta entre os profissionais envolvidos no cuidado de cada paciente.
  • O paciente pode contar com a estrutura e todos os serviços de um hospital de alta complexidade.
  • Corpo clínico dedicado ao ensino e pesquisa clínica.
  • Alta tecnologia em exames e procedimentos para prevenção, diagnóstico, tratamento e reabilitação dos nossos pacientes oncológicos.
  • Nossas equipes seguem protocolos rígidos de certificação de qualidade para assegurar a segurança dos pacientes, sem perder nossa vocação para o atendimento humanizado.

O que você precisa saber sobre o câncer?

O câncer não é apenas uma doença, e sim um conjunto de mais de 100 quadros diferentes causados por tumores malignos no organismo - originados a partir de uma multiplicação desordenada de células em uma ou mais áreas do corpo, podendo atingir órgãos, tecidos e estruturas do organismo. Dependendo da região em que se desenvolvem, são chamados de carcinomas (quando surgem em tecidos epiteliais, como mucosas ou pele) ou sarcomas (quando atingem cartilagem, osso ou músculo).

Tipos e classificações

Entre os brasileiros, os tipos com maior incidência são o câncer de pele, de mama, de próstata, de intestino e de pulmão. Além deles, os chamados hematológicos (leucemias, linfomas e mielomas), que prejudicam as células sanguíneas, também são frequentes. A classificação da gravidade de um tumor leva em conta uma série de fatores, como sua velocidade de crescimento, se é metastático (quando atinge outras parte do corpo além da área em que teve início), o estágio em que foi descoberto e doenças associadas do pacientes.

Diagnóstico

Estar atento aos sintomas e às incoerências que surgem em exames de rotina é muito importante para o diagnóstico efetivo do câncer. Para confirmar a suspeita, o oncologista usa exames de imagem (como ultrassom, tomografia e ressonância magnética) e faz a biópsia de uma parte do tumor. Em relação aos cânceres hematológicos, a confirmação é feita pela análise das alterações nas células sanguíneas.

A importância da detecção precoce

Em alguns casos, as chances de cura de um tumor estão diretamente ligadas ao desenvolvimento que ele alcançou, ou seja, quanto mais cedo ele for diagnosticado e tratado, maior é a probabilidade de sucesso na terapia escolhida. Por isso, é essencial fazer todos os exames de rotina indicados pelo médico, já que muitos casos de câncer são detectados em estágio inicial através dessas avaliações.

Principais exames de rotina para a detecção precoce​ de câncer

  • Mamografia (para câncer de mama)
  • Exame de Papanicolau (para câncer do colo do útero)
  • Exame laboratorial de PSA (para câncer de próstata)
  • Tomografia do tórax (para câncer de pulmão)
  • Exames ginecológicos
  • Colonoscopia (para câncer de cólon e reto)


Tratamentos

Atualmente, o paciente oncológico conta com vários tipos de tratamento, como cirurgia para extração do tumor e outros procedimentos como quimioterapia e radioterapia - podendo, inclusive, associar dois ou mais tratamentos dependendo do quadro do paciente. Neste caso, cabe ao oncologista identificar a melhor forma de tratamento, levando em consideração a saúde do paciente, o tamanho e agressividade do tumor, o estágio do câncer e possíveis doenças associadas.

  • Cirurgia para extração do tumor: procedimento cirúrgico que retira a área prejudicada pelas células tumorais;
  • Quimioterapia: método usado com frequência para retardar o avanço da doença para outras partes do corpo;
  • Radioterapia: usa de radiações ionizantes para destruir o tumor de forma local;
  • Imunoterapia: fortalecimento do organismo do paciente para que ele consiga combater o tumor, usado principalmente quando o tipo de câncer é resistente aos tratamentos tradicionais;
  • Hormonioterapia: usada em casos em que o tumor tem receptores hormonais (como no câncer de mama, de próstata e outros).​​

​​​​​​Corpo Clínico

Dr. Luiz Henrique Lima Araújo
Dr. Victor Araújo - Oncologia Clínica
Dra. Tarnara Valeriano Campostrini - Oncologia Clínica
Dra. Gabriela Passos