Logon
Blog

Alimentação balanceada pode prevenir gordura no fígado

Excesso de açúcar e álcool aumenta as chances de desenvolvimento da doença

A esteatose hepática, também conhecida como gordura no fígado, é uma das doenças mais perigosas que ameaçam a saúde do órgão. Estima-se que entre 20% e 30% da população mundial sofra desse mal silencioso, que costuma ser descoberto em estágio avançado. Porém, alimentar-se bem desde a juventude pode ser o melhor caminho para ficar longe da doença.

Segundo o dr. Henrique Sérgio Coelho, hepatologista do Hospital São Lucas Copacabana, existem dois tipos de gordura no fígado: a alcoólica, provocada pelo consumo excessivo de álcool, e a não alcoólica, causada pelo acúmulo de gorduras e açúcares. Manter uma dieta rica em alimentos gordurosos e ultraprocessados, com frituras, salgadinhos, embutidos, doces e refrigerantes, aumenta as chances de desenvolvimento da gordura no fígado não alcoólica. No lugar deles, é melhor optar por legumes, folhas verdes, verduras, frutas, oleaginosas, como o amendoim e as castanhas, e versões grelhadas ou cozidas das carnes.

Uma das funções mais importantes do órgão é o armazenamento de algumas vitaminas e minerais, além do processamento do álcool ingerido e da ajuda na digestão de gorduras. Quando há um consumo elevado de gorduras e açúcares superior ao necessário para gerar energia para o corpo eles vão se acumulando na região e colocam o paciente em situação perigosa ao comprometer o funcionamento do fígado.

“O paciente deve ficar atento porque a gordura no fígado pode evoluir para doenças muito sérias, como cirrose hepática não alcoólica e até mesmo o desenvolvimento de um quadro cancerígeno. Em casos como este, o transplante de fígado torna-se a única possibilidade viável”, explica o dr. Henrique Sérgio Coelho.

Escolher os alimentos certos é a chave para manter a saúde do organismo como um todo, principalmente do fígado. E engana-se quem pensa que cortar totalmente os carboidratos da dieta vai reverter a situação, já que eles são necessários para gerar energia para o funcionamento do corpo. Para alimentar-se de forma saudável, é indicado consultar-se com um nutricionista ou nutrólogo que, com base em exames e avaliações, montará uma dieta pensada para as necessidades de cada paciente.


Veja mais