Logon
Blog

Como fugir das ciladas nutricionais

Alimentos light e enriquecidos podem não ser tão bons para a saúde quanto parecem

​Existe uma grande quantidade de alimentos, produtos e estratégias de alimentação dedicados a quem quer perder peso ou apenas ter uma vida mais saudável. Porém, é preciso ter muita atenção aos rótulos antes de consumi-los, já que alguns termos, como light e diet, por exemplo, podem gerar confusão e acabar prejudicando tanto a saúde quanto a dieta. Abaixo, confira algumas ciladas nutricionais e como não cair nelas.


  1. Frutas podem ser consumidas à vontade

Não é porque são alimentos naturais que as frutas podem estar presentes em grande quantidade na dieta. Segundo o dr. João Merheb, nutrólogo do Hospital São Lucas Copacabana, elas devem ser consumidas com moderação, e a grande dica é apostar na variedade ao longo do dia – para que o corpo consiga absorver diversos tipos de nutrientes, vitaminas e minerais.

“É indicado combinar uma pequena porção de frutas com outros alimentos no café da manhã ou nos lanches, como ovos ou oleaginosas. Para quem quer perder peso, é preciso escolher as frutas com a menor quantidade de calorias, como melancia e morango”, explica o nutrólogo.


  1. A dieta ideal tem muita proteína e poucos carboidratos e gorduras

Apesar de as proteínas, como as carnes e o ovo, serem os principais alimentos que auxiliam na formação de massa magra, elas não devem se sobressair em relação aos outros grupos alimentares necessários em uma dieta saudável.

Caso tenha dúvida, o paciente deve procurar um nutricionista ou nutrólogo para definir as quantidades ideais de proteínas, carboidratos e gorduras boas que ele deve consumir por dia de acordo com seu objetivo.


  1. Alimentos light, diet e zero podem ser consumidos à vontade na dieta

Não é porque um produto é classificado como light, diet ou zero que ele é, necessariamente, melhor para um estilo de vida mais saudável. Segundo o dr. Merheb, a quantidade menor de nutrientes nesses produtos, seja carboidrato ou açúcar, seja sódio, lactose ou glúten, é compensada com um teor maior de outro componente para manter o sabor agradável. É indicado ler o rótulo de cada produto com muita atenção antes de assumir que ele é saudável.


  1. Produtos enriquecidos fazem bem à saúde

Alimentos enriquecidos são aqueles que entregam uma quantidade maior de determinado nutriente, como ferro, cálcio e ácidos graxos. Porém, eles devem ser consumidos apenas sob recomendação de especialista, já que podem conter quantidades maiores de gorduras – inclusive as saturadas.

“Nesse caso, mais uma vez, ler o rótulo antes de comprar é essencial para saber exatamente o que vem naquele pacote e se ele beneficiará a saúde em vez de prejudicá-la”, afirma o dr. Merheb.


  1. ​​​​Versões tradicionais engordam menos do que as integrais

Segundo o nutrólogo, os alimentos integrais têm mais fibras em comparação com as versões tradicionais, o que ocasiona menor índice glicêmico. Quanto mais insulina é liberada no organismo após o consumo de um alimento, mais prejudicial à saúde este será. Como os alimentos tradicionais, como o pão branco, têm um índice glicêmico maior do que a versão integral, eles promovem um ganho calórico maior.​


Veja mais