Logon
Blog

Cuidado Precoce do Câncer de Mama Aumenta Chances de Cura

Outubro Rosa em conscientização do diagnóstico e tratam​ento em fase inicial

​O mês de outubro, desde a década de noventa, é marcado por uma campanha voltada para a conscientização da prevenção e detecção precoce do câncer de mama, trazendo também discussões a respeito do autocuidado e da atenção ao outro, frente ao diagnóstico desta patologia.

Neste cenário, o Outubro Rosa, que tem como símbolo um laço na mesma tonalidade, já incentivou, desde sua criação, o financiamento de inúmeras pesquisas visando aumentar as chances de cura e, mais do que isso, teve uma aderência surpreendente de diversas marcas, grupos e instituições.

De acordo com a Thayane Moraes, Enfermeira Navegadora da Oncologia do Hospital São Lucas Copacabana, isso se dá, é claro, porque as estatísticas em torno deste carcinoma não são nada fáceis. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), esta enfermidade é a mais incidente em mulheres de todas as regiões do Brasil. E, para o ano de 2020, foram estimados 66.280 novos casos – o que faz com que o alerta seja ainda maior.

Dessa forma, o objetivo ao alavancar este tipo de iniciativa é reafirmar o que os estudos epidemiológicos já apontam: que o câncer de mama, ao ser detectado em suas fases iniciais, tende a aumentar a possibilidade de tratamentos menos agressivos e, acima de tudo, pode levar a melhores prognósticos para as pacientes envolvidas.


Prevenção e fatores de risco

De acordo com o Ministério da Saúde, cerca de 30% dos casos de câncer de mama podem ser evitados com mudanças no estilo de vida, que incluem alimentação saudável, manter o peso corporal adequado, praticar atividade física, mitigar o consumo de bebidas alcoólicas, não fumar, amamentar e evitar reposição hormonal.

Contudo, é fundamental saber que os fatores que podem levar ao desenvolvimento desta patologia não estão apenas atrelados a estes comportamentos, mas também dependem de condições individuais (não mutáveis), como:

Fatores genéticos e hereditários: idade e raça; histórico familiar de câncer no ovário e de mama, principalmente antes dos 50 anos; histórico familiar de câncer de mama em homens; e alteração dos genes BRCA1/ BRCA2.

Fatores da história reprodutiva e hormonal: primeira menstruação antes de 12 anos; primeira gravidez após os 30 anos; menopausa após os 55 anos;  uso de contraceptivos hormonais (estrogênio-progesterona); e reposição hormonal pós menopausa, principalmente por mais de cinco anos.


Autoexame da mama: importante caminho para a detecção precoce

O Ministério da Saúde preconiza que todas as mulheres, independentemente da idade, devam ser incentivadas a ter o conhecimento sobre seus corpos, realizando o autoexame das mamas e visando identificar possíveis alterações não percebidas anteriormente.

Neste contexto, sinais e sintomas como vermelhidão, retração, pele parecida com casca de laranja, inchaços, feridas e nódulos (caroços) nas mamas e na região axilar, com ou sem dor, são motivos para a busca de um atendimento especializado. Contudo, nem todas as alterações são malignas e, por isso, é preciso ser avaliado por um médico.

Ainda assim, mesmo com esta empreitada, é importante ressaltar que o autoexame não deve ser substituído pelo atendimento clínico. Logo, manter uma periodicidade nos seus agendamentos com um especialista é indispensável.


Quando fazer uma mamografia?

A mamografia é um exame de raio-x da mama, capaz de detectar alterações suspeitas que ainda não são possíveis de identificar no autoexame. Por esta razão, a recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS), é que seu rastreamento seja feito, especialmente, em mulheres de 50 a 69 anos.

E, dessa forma, o intervalo indicado entre os exames corresponde a uma estimativa de dois anos. Portanto, não se esqueça de anotar na agenda e de manter este tipo de consulta sempre em dia.

Interessou-se por este conteúdo e percebeu como a informação ajuda a salvar vidas? Previna-se já, acompanhe outras informações aqui no site do Hospital São Lucas e, principalmente, compartilhe com uma amiga que precisa saber a respeito.


Veja mais