Logon
Blog

Cuidados para manter a saúde da pele no verão

Fatores de risco devem ser acompanhados para prevenir doenças

Ter um carinho a mais com a pele é algo que deve ser feito o ano inteiro. Sendo o maior órgão do corpo humano, ela é responsável pela troca de informações entre o organismo e o ambiente externo ao corpo, porém, durante o verão, o cuidado com ela deve ser ainda mais intenso.

Segundo o dr. Luciano de Figueiredo, da Clínica Médica do Hospital São Lucas Copacabana, o primeiro passo para manter a pele saudável quando as temperaturas sobem é intensificar a hidratação. Ao longo do ano, recomenda-se que adultos e crianças bebam cerca de dois litros d’água, suco natural ou água de coco por dia, porém, no verão, essa quantidade deve ser maior para evitar a desidratação causada pelo excesso de suor.

“Quando o consumo de líquidos não é feito de forma correta, todo o organismo sofre. Os primeiros sintomas da desidratação são sede em excesso, cor escura e pouco volume de urina, fraqueza, dor de cabeça e tonteira. Indo além, a pele fica ressecada e elástica e a frequência cardíaca aumenta, podendo provocar desmaios e convulsões”, explica o dr. Luciano.

Ao se expor ao sol, é fundamental usar filtro solar para evitar ressecamento, queimadura, manchas e até mesmo o envelhecimento precoce da pele. A dica do dr. João Paulo Travassos, dermatologista do Hospital São Lucas Copacabana, é buscar a opinião de um especialista para saber qual o veículo (creme, gel, loção ou outros) e o fator de proteção para cada pessoa, porém, é indicado que ele seja de, no mínimo, 30.

Ainda segundo o dermatologista, o filtro solar deve ser aplicado 30 minutos antes da exposição ao sol e reaplicado, pelo menos, a cada três horas. Caso o objetivo seja praticar atividades na água ou se a pessoa transpira muito, esse intervalo deve ser menor. Como a pele do rosto costuma ser mais sensível, vale investir em um protetor solar específico para essa área.

“Um equívoco comum é que o protetor solar só é necessário na hora de ir à praia ou durante um passeio ao ar livre. A verdade é que ele deve ser usado todos os dias para proteger a pele dos raios UV, inclusive quando estiver nublado. Além de prevenir doenças de pele, o filtro também retarda o fotoenvelhecimento”, afirma o dermatologista.

Outro mito ligado aos cuidados com a pele é que as pessoas negras não precisam usar filtro solar para se protegerem. Por mais que a quantidade a mais de melanina haja como uma “proteção natural” contra os raios UV, elas também sofrem os males da exposição ao sol e podem desenvolver doenças relacionadas com a pele, como o câncer.

Em relação às crianças, elas devem ser protegidas desde os seis meses de vida e com filtro solar do tipo físico, indicado por um dermatologista ou pediatra. Ainda segundo o dr. João Paulo, as pessoas com cicatrizes devem dar atenção especial à área e aplicar uma camada mais grossa do filtro, além de protegê-la com esparadrapo ou curativos transparentes do tipo bandeide caso necessário.

Quando os raios solares estão intensos, vale apostar em chapéu ou boné para proteger o rosto e o couro cabeludo, além de óculos escuros e roupas com proteção UV. No auge do verão, quando as temperaturas beirarem ou ultrapassarem 40 °C, é indicado evitar a exposição direta ao sol das 10h às 16h, principalmente as crianças e os idosos.


Veja mais