Logon
Blog

Emagrecimento: tratamentos e cuidados necessários

Perder peso com saúde requer acompanhamento médico.  Principal objetivo deve ser em médio e longo prazo.

​​​​Com o começo do ano é comum entrar na lista de resoluções a famosa dieta ou uma meta de emagrecimento. Tal fato não representa apenas um propósito estético – por causa da proximidade do verão –, mas reflete a preocupação com a saúde, principalmente na prevenção de doenças e complicações relacionadas com a obesidade. Essa é uma decisão excelente, mas deve ser tomada com cuidado e orientação médica para que os resultados sejam efetivos e proporcionem a qualidade de vida tão esperada.

O excesso de peso não deve ser visto como um problema relacionado com a beleza física, mas, sobretudo, como uma questão de saúde individual. Isso porque quando há acúmulo de gordura no corpo, a pessoa fica exposta a inflamações e inúmeros problemas de saúde, que podem passar de 200 doenças!

Para alcançar essa finalidade, existem diversas possibilidades de tratamento, porém, é preciso atenção a promessas milagrosas de emagrecimento rápido com o uso de medicamentos e regimes para perder peso. Qualquer tipo de mudança para proporcionar mais saúde ao corpo precisa de acompanhamento médico.

 

Qual o melhor tratamento para emagrecer?​

O processo de perda de peso é muito complexo e depende de mecanismos metabólicos e hormonais. Antigamente focava-se muito no famoso balanço energético – se positivo o paciente ganharia peso, se negativo, perderia. Entretanto, surge a dúvida: por que com algumas pessoas isso é fácil e com outras não? Seria influência genética ou hormonal?

Para esclarecer qual tratamento será mais vantajoso e benéfico – cirurgia, uso de medicamentos, atividades físicas ou dieta – é fundamental a consulta completa, cautelosa e atenciosa de um endocrinologista.

De acordo com o Dr. Lúcio Vieira, endocrinologista do Hospital São Lucas, diversos estudos mostram que é muito importante o paciente se pesar com regularidade, já que essa monitorização pessoal pode estimulá-lo a tomar uma atitude positiva. Esse é o momento ideal para buscar um endocrinologista, que orientará o interessado sobre as condições do organismo: alterações hormonais, como problemas com a tireoide; oscilações no metabolismo e retenção de líquido, além do diagnóstico de outras condições que se manifestam em decorrência da obesidade, como hipertensão, diabetes e colesterol alto, entre outras comorbidades.

Além disso, é muito importante que também haja a orientação de um nutricionista para a elaboração de um plano alimentar balanceado, visando às necessidades e preferências individuais de cada paciente.
“O melhor tratamento é quando o paciente consegue alinhar as expectativas de resultados com o seu médico. O excesso de peso é um problema muito comum na atualidade, mas noto que o contexto individual é muito diferente em cada consulta. Hoje existem possibilidades terapêuticas que há 10 anos não estavam disponíveis. Tratamentos com medicações orais e injetáveis, por exemplo, além do cirúrgico", explica o médico.

 

Quais os riscos de tomar remédios para emagrecer?

A recomendação é que o uso de medicamentos seja indicado pelo endocrinologista após a realização de uma avaliação da saúde do paciente, considerando o estilo de vida e a relação entre a perda de peso e a melhora de seu bem-estar. Apesar de ainda haver muitos estigmas e preconceitos, o uso de remédios sob supervisão médica é aconselhado para tratar a obesidade.

Para que os fármacos para emagrecer sejam eficazes, os mecanismos são diversos – podem inibir o apetite, aumentar a saciedade ou alterar a absorção de calorias. Para que a perda de peso se mantenha em longo prazo (este é o grande problema, segundo nosso endocrinologista), é importante que o remédio seja usado com orientação médica para evitar o reganho de peso, o famoso efeito sanfona. 

 

Perigos de dietas de emagrecimento rápido

Não é incomum pessoas que apostam em dietas da moda quando querem emagrecer. São receitas pré-formatadas com promessas milagrosas. No entanto, de acordo com vários estudos científicos, essas dietas radicais que prometem perda rápida de peso não são efetivas na manutenção do controle do peso e na saúde em longo prazo. Isso acontece porque as pessoas cortam muitos nutrientes drasticamente ou por não conseguirem conservar tanta rigidez no cardápio, e os resultados obtidos inicialmente se perdem ao longo dos meses. Além do mais, uma reeducação alimentar deve levar em consideração não apenas os nutrientes, mas os aspectos sociais e culturais do paciente para garantir sua qualidade de vida.

 

Como emagrecer com saúde?

Independentemente do tipo de tratamento indicado pelo especialista, emagrecer exige mudança de comportamento, com a adoção de hábitos mais saudáveis que beneficiarão não somente a perda de peso, como também a saúde e a qualidade de vida de maneira geral. Assim, confira alguns passos para uma vida mais sadia.

 

  • Não deixe de tomar café da manhã e evite longos períodos sem comer durante o dia. Quando se está em jejum, o metabolismo desacelera e o corpo consome não só gordura, mas também massa muscular. Isso faz com que as calorias não consumidas deixem de realizar tanto efeito para perder peso, então o melhor é ter um café da manhã saudável, com a presença de queijo magro, pão integral e frutas. Além disso, durante o dia, não fique muito tempo sem comer: priorize fazer pequenas refeições de poucas calorias a não comer nada.
  • As atividades físicas não podem ser esquecidas, uma vez que a diminuição do consumo de calorias é apenas uma parte do processo para o emagrecimento. O gasto calórico é aumentado com a prática de exercícios, responsáveis por beneficiar o metabolismo e possibilitar que as pessoas percam mais peso até mesmo quando estiverem dormindo. Se não for possível ter longos períodos de exercícios intensos, pelo menos caminhe 30 minutos por dia. Recomendamos que o paciente se exercite de 150 a 300 minutos por semana.
  • A constância é mais importante que o tipo de exercício. Escolha um que seja adequado às suas condições físicas e até mesmo financeiras. Invista com disciplina: os benefícios serão enormes e você se sentirá mais disposto e com mais saúde emocional.
  • Emagrecer (ou tratar a obesidade) precisa ser um objetivo de médio a longo prazo. Assim, procurar resultados instantâneos pode ser um sinal de desistência ao longo do processo. Faça esse processo de forma supervisionada por uma equipe interdisciplinar e coordenada pelo médico assistente. É necessário pensar em todos os profissionais trabalhando juntos – nutricionista, psicólogo, profissional de educação física, endocrinologista e cirurgião.

 

O Dr. Lúcio enfatiza ainda que o tratamento para a perda de peso não deve ser visto como uma estrada reta. Não há um único destino possível ou meta igual para todos os pacientes. Tratar a obesidade e o excesso de peso é uma estrada cheia de curvas, desafios e pegadinhas, e cada ponto do caminho deve ser comemorado com a companhia do endocrinologista.

 

Centro de Diabetes e Obesidade do Hospital São Lucas

​O setor é localizado no Shopping da Gávea e oferece aos pacientes um atendimento sofisticado, com profissionais de referência no Rio de Janeiro. A equipe, além de disponibilizar todo o tratamento clínico, conta com estrutura no qual o paciente pode realizar várias consultas e exames em um só local. Para saber mais, entre em contato conosco pelos números (21) 2545-4458 | 2545-4459.



Veja mais

Nosso site usa cookies para melhorar a navegação. Conheça o nosso Portal de Privacidade .