Logon
Blog

Gordura no fígado: condição silenciosa pode desenvolver outras doenças

Acúmulo de gorduras na região do órgão podem levar à cirrose, hepatite e câncer

​Famoso por sua irreverência e talento para a comédia, o youtuber Whindersson Nunes, atualmente dono do maior canal brasileiro do Youtube com 29 milhões de inscritos, declarou que pretende emagrecer. O motivo? Segundo o youtuber, a quantidade de gordura acumulada na região do fígado poderia evoluir para um câncer no órgão.

Também conhecida como esteatose hepática, a causa da gordura no fígado se deve a um estilo de vida sedentário, obesidade, diabetes e consumo excessivo de bebida alcoólica e pode trazer complicações sérias para a saúde. Segundo o dr. Eduardo Fernandes, especialista em cirurgia do fígado e pâncreas do Hospital São Lucas Copacabana, a presença dessa gordura na região hepática pode evoluir também para casos de cirrose e hepatite, necessitando que o paciente, sempre que possível, faça exames de rastreio.

“Nem sempre os sintomas são claros, mas alguns pacientes relatam dores no lado direito do abdômen, enjoos, mal-estar e um aspecto de inchaço na barriga. Em casos como este, um hepatologista deve ser consultado o quanto antes”, explica o médico. A falta de sintomas específicos é um risco para o paciente e dificulta o diagnóstico precoce, o que influencia no risco da doença.

Como a melhor forma de evitar o desenvolvimento da gordura do fígado é a prevenção, consumir alimentos saudáveis e pouca bebida alcoólica, fazer exercícios físicos constantes e ficar longe do tabagismo são essenciais para manter a saúde do órgão. Além disso, também é necessário controlar outras doenças que influenciam na quantidade de gordura, como diabetes e colesterol alto. Caso exista a possibilidade de cirrose, o tratamento específico para essa doença deve ser seguido.

“Quem tem obesidade, diabetes tipo 2, colesterol e pressão altos e é fumante têm mais chances de desenvolver a doença, principalmente se tiver idade superior a 50 anos”, afirma o dr. Eduardo. Pacientes com hipotireoidismo também entram no grupo de risco, devido ao metabolismo lento. A mudança de hábitos de vida também é uma das formas de tratamento de um diagnóstico de gordura no fígado, que deve ser alinhado com outras recomendações do médico especialista.



Veja mais