Logon
Blog

Inteligência artificial na medicina

Temas como computação cognitiva e sua aplicabilidade em saúde nortearam a discussão da terceira edição do Visão São Lucas

​Confira a terceira edição do café científico do São Lucas

Inteligência artificial no ambiente hospitalar é possível? Como a tecnologia da informação pode auxiliar o dia a dia do médico em suas tomadas de decisão? Essas foram algumas reflexões trazidas pela terceira edição do café científico Visão São Lucas – Palestras de Excelência Médica, que aconteceu no último dia 11, no charmoso Hotel Hilton Copacabana, com a presença de quase cem médicos ilustres da cidade.​

Na abertura do encontro, o médico e coordenador do evento Dr. Marcos Knibel destacou que a medicina já viu muita tecnologia ser incorporada à prática de trabalho e enfatizou: “Precisamos discutir sobre a melhor forma possível de ‘ingerir’ o enorme volume de informações disponível, a dificuldade de nos mantermos atualizados e o custo do não saber.”

Para explorar o campo da inteligência artificial, o São Lucas convidou Miguel Aguiar Netto, líder em saúde da IBM Brasil e da Integrated Health Services (IHS), que apresentou a plataforma Watson Health, desenvolvida pela IBM, para oferecer opções terapêuticas para as decisões clínicas, entre outras soluções de tecnologia aplicáveis ao campo da medicina.​


Durante a palestra, Netto apresentou cinco desafios globais na área de saúde: cuidado em saúde – valor e acesso; foco no cuidado – olhar o ser humano de forma mais abrangente; os atores fragmentados; pacientes não empoderados e Big Data em produção de conhecimento.

Os sistemas computacionais são ferramentas úteis para o nosso trabalho e entretenimento, mas e se eles pudessem realmente nos tornar mais saudáveis e ajudar a encontrar o tratamento de doenças? É isso que a era da computação cognitiva nos reserva!​


O que é o sistema Watson?

Uma plataforma capaz de interpretar dados não estruturados, seja em vídeo, foto, texto, seja em qualquer outro formato, assim como faz um ser humano. Tudo isso graças a algoritmos complexos de inteligência artificial baseados em redes neurais e na tecnologia de aprendizagem chamada deep learning. Por dia, 2,5 bilhões de gigabytes de informações da web são processados para que o Watson aprenda e se torne ainda melhor.

O Watson tem a capacidade de interpretar o contexto das situações. O sistema aprende sobre o complexo processamento de linguagem. Ele varia de idioma para idioma, mas se baseia em três pilares: gramática, estrutura e relação de palavras. É por isso que o IBM Watson sabe que a manga da sua camisa não é uma fruta e o banco da praça não é uma instituição bancária. Essa capacidade de entender o que é dito pelos humanos, e não apenas converter voz em texto, é o principal diferencial do Watson em relação ao Siri, do iPhone, por exemplo.

Na área de saúde o Watson pode recomendar terapias com base no cruzamento da literatura científica com os dados clínicos e genéticos do paciente. A plataforma não diz qual a melhor terapêutica, mas traz todos os possíveis tratamentos e suas evidências científicas, inclusive com grau de risco e efeitos colaterais.


PERFIL

PERFIL – MIGUEL AGUIAR NETTO


Miguel Archanjo de Souza Aguiar Netto (MD, MPH, DHI, IBM Brazil Chief Health Officer e Integrated Health Services Leader, IBM Watson Health HOPE team LA representative) é médico, certificado em medicina interna e saúde pública; possui pós-graduação em análise de sistemas, mestrado em saúde pública em gestão de sistemas e serviços de saúde e doutorado em informações de saúde; é responsável pela saúde e bem-estar dos funcionários da IBM Brasil, suas famílias e comunidades; ele também representa a equipe IBM Watson Health HOPE para a América Latina em relação a todas as soluções cognitivas da IBM Watson Health.



Sobre o Visão São Lucas – Palestras de Excelência Médica


Um evento de relacionamento com os médicos da cidade, que tem o objetivo central de suscitar debates e reflexões e compartilhar conhecimento sobre temas relevantes da área de saúde, tecnologia, bem-estar e qualidade de vida, entre outras questões pertinentes que permeiam a contemporaneidade.

​“Além de estreitar os laços com nossos médicos parceiros, o objetivo do Ciclo de Palestra de Excelência Médica é possibilitar reflexões pertinentes que impulsionem ações para melhorar a qualidade de vida das pessoas”, salientou a Dra. Cristina Mendes, diretora de Relacionamento Médico do São Lucas.​





Veja mais