Logon
Blog

Metabolismo: o que é e como acelerá-lo naturalmente?

Disfunções metabólicas influenciam a perda de peso e, quando não controladas, podem acarretar problemas mais sérios

​Quando o assunto é dieta, todo mundo conhece alguém com dificuldades para perder peso que recorre a “fórmulas milagrosas" que, geralmente, colocam a saúde em risco. Em diversos casos, essa resistência está relacionada com alterações no metabolismo, que pode ficar tanto lento quanto acelerado. 

O que é e como funciona o metabolismo?

O corpo precisa acumular energia para realizar funções – desde respirar até levantar algo pesado – e promover alterações no organismo que supram sua demanda energética, por meio da digestão de carboidratos, lipídios e proteínas encontradas nos alimentos. Esses processos recebem o nome de metabolismo e mantêm nosso organismo vivo.

O que determina o ganho ou a perda de peso é o equilíbrio entre o que é consumido e o gasto calórico total, e um dos principais influenciadores nessa equação é a taxa metabólica basal (TMB), que representa a quantidade mínima de energia necessária para manter o corpo em repouso.

Naturalmente, com o passar dos anos, a TMB tende a reduzir seu ritmo, já que as funções do organismo de modo geral e a massa muscular também diminuem. Para entendermos melhor esse mecanismo, o Dr. Lúcio Henrique Vieira, endocrinologista do Centro de Diabetes e Obesidade do Hospital São Lucas, na Gávea, ressalta a importância do músculo esquelético para a taxa metabólica basal: “A massa do músculo esquelético é relativamente constante ao longo da vida, mas com exercícios de levantamento de peso, ela pode ser aumentada. Muitos programas de redução de peso, no entanto, apostam na musculação para manter ou aumentar a taxa metabólica, de modo que emagrecer sem acompanhamento profissional pode causar sua diminuição", diz o médico. 

 Que alimentos aceleram o metabolismo?

A termogênese (produção de calor) é o gasto energético gerado pela ingestão, digestão, absorção, utilização e estocagem de alimentos no corpo. Ela representa de 5% a 15% do gasto total, o que indica seu importante papel também na regulação do peso corporal.

Pesquisas mostram que a proteína é o macronutriente que mais influencia a termogênese. Por isso, as dietas ricas em alimentos como lentilha, carnes, feijões, leguminosas, tofu, soja, leite e ovos podem auxiliar no gasto calórico mais intenso, contribuindo para uma possível perda de peso. Todavia, como ainda não foi confirmado se as dietas hiperproteicas podem causar efeitos colaterais, como aumento na excreção de cálcio urinário, é preciso ter cautela, principalmente os pacientes que já possuem algum fator de risco. 

Como é feito o diagnóstico de problemas de metabolismo?

Alterações metabólicas podem ser detectadas por meio de sintomas relatados em consulta médica, além da análise do histórico familiar do paciente e da realização de exames complementares. Quanto à dificuldade de perder ou ganhar peso, além de um quadro preexistente, existem outras alterações que podem afetar a taxa de metabolismo basal:

  • etnia;

  • peso;

  • massa livre de gordura;

  • idade;

  • tabagismo;

  • prática de atividades físicas;

  • alimentação;

  • período menstrual;

  • hormônios da tireoide e sexuais;

  • crescimento;

  • hipertermia (aumento na temperatura corporal);

  • sono;

  • estresse metabólico causado por infecções ou doenças crônicas.


Sintomas de síndrome metabólica

Quando o paciente apresenta muitos fatores de risco, eles aumentam o perigo de infarto e acidente vascular cerebral (AVC). Para diagnosticar a síndrome metabólica, o médico analisa a pressão arterial, o nível elevado de açúcar no sangue, o excesso de gordura corporal no abdome e os níveis de colesterol anormais. Além de uma grande circunferência da cintura, a maioria dos distúrbios associados à síndrome metabólica não apresenta outros sintomas.

“Além do endocrinologista, é muito importante contar com o suporte psicológico e nutricional para o tratamento da síndrome metabólica", finaliza o Dr. Lúcio Henrique. 

O Centro de Diabetes e Obesidade do Hospital São Lucas, na Gávea, dispõe de uma equipe multidisciplinar dedicada ao diagnóstico, tratamento e acompanhamento de pacientes com síndrome metabólica e outros quadros relacionados com o metabolismo, incluindo indicação para procedimentos de alta complexidade, como as cirurgias metabólica e bariátrica.​​

Veja mais