Logon
Blog

Nódulos: o que são, quais as suas causas, sintomas e quando se preocupar

A presença de um caroço pode indicar cisto, tumor benigno ou até mesmo câncer

​​Perceber um “caroço" em qualquer região do corpo, naturalmente, desperta apreensão, principalmente pelo fato de que a presença de um nódulo pode ser indício de algum tipo de câncer. O Dr. Stéfanos Generalis, radiologista intervencionista do Hospital São Lucas Copacabana, explica como agir diante do surgimento de nódulos mamários, pulmonares e hepáticos. 

O que é um nódulo?

Caracteriza-se como nódulo lesões sólidas - algumas são possíveis de serem detectadas por meio da palpação e outras apenas por meio de exames de imagem. Essa alteração pode surgir em qualquer parte do corpo e diversos órgãos. É possível, por exemplo, identificar um caroço no pescoço e, com o diagnóstico, descobrir que as lesões, na verdade, se localizam na tireoide.

“Nódulo nem sempre é sinônimo de tumor ou neoplasia. Situações como reações alérgicas e alterações hormonais podem dar origem a nódulos na pele e na mama, respectivamente", explica o médico. 

Como identificar um nódulo?

Ela pode ser feita tanto pelo próprio paciente quanto através do exame físico realizado pelo médico que o acompanha.

“Alguns nódulos, como os renais, pulmonares e hepáticos são identificados através de exames complementares de imagem, como tomografia, ressonância magnética e ultrassonografia. Algumas condições clínicas precisam da realização desses exames de forma preventiva e frequente, como a cirrose no fígado, pacientes em acompanhamento oncológico ou mamografia regular em mulheres." 

Qual a diferença entre nódulo e cisto?

Apesar de semelhantes, nódulo e cisto não são a mesma coisa. Enquanto o primeiro – como mencionamos acima – é uma lesão sólida, o cisto é definido como uma lesão líquida com algum componente sólido ou espesso em seu interior, envolvido por uma cápsula. O conteúdo do interior varia de acordo com a região em que se desenvolve - como os cistos que atingem o sistema linfático, que tendem a acumular bastante líquido. Já os que se desenvolvem no pulmão, por exemplo, são formados por ar.

Em geral, cistos não necessitam de tratamento, mas em situações que causem dor, desconforto, limitação de movimento ou quando inflamam, pode ser indicada tanto a retirada cirúrgica como a aspiração do cisto para evitar seu reaparecimento. 

Quando um nódulo é benigno e quando é maligno?

O nódulo benigno cresce mais lentamente e as células são semelhantes às “originais". Apesar de não ser câncer, é necessário atenção para que não cresça exageradamente a ponto de comprimir estruturas vizinhas. Enquanto isso, o nódulo maligno tem desenvolvimento mais acelerado, é formado por células anômalas e pode invadir outras áreas em um processo chamado de metástase. 

Nódulo mamário

Um nódulo na mama, sem dúvidas, é motivo de alerta para as mulheres, pois está diretamente relacionado ao câncer de mama. No entanto, é comum que surjam cistos no tecido mamário ou caroços derivados de alterações hormonais:

  • Alterações fibrocísticas: têm relação com mudanças hormonais e se manifestam principalmente durante o período menstrual;
  • Cistos: mais frequente em mulheres que estão na pré-menopausa;
  • Fibroadenoma: sua incidência é maior entre mulheres mais jovens e é provocado pelo crescimento aumentado das glândulas que produzem o leite;
  • Lipoma: acúmulo de tecido gorduroso que não oferece riscos à saúde da mulher;
  • Mastite: inflamação que incide sobre lactantes e pode se apresentar, também, em homens. A mastopatia diabética é uma variação da mastite e acomete pessoas que fazem tratamento com insulina.

Nódulos relacionados à neoplasia não costumam provocar dor nos seios, mas os tumores benignos, no entanto, podem gerar algum desconforto, principalmente quando há quadro de infecção ou abcesso. 

Nódulo pulmonar

O nódulo pulmonar é uma lesão sólida, geralmente arredondada, que costuma representar a presença de infecções, tumores benignos ou o início de câncer de pulmão. A massa também pode ser sequela de embolia pulmonar ou infecções anteriores. Por meio da tomografia computadorizada é possível diagnosticá-lo e acompanhá-lo, também podendo ser necessário realizar biópsia para uma avaliação mais completa. 

Nódulo hepático

A maioria dos nódulos no fígado são benignos e não apresenta sintomas. Suas principais causas são:

  • Cistos e abcessos: quando derivados da presença de algum parasita, precisam de remoção ou drenagem do conteúdo. Casos associados a condições genéticas podem requerer a realização de transplante hepático;
  • Hiperplasia nodular focal: segundo nódulo hepático mais frequente, incide principalmente entre mulheres na faixa dos 20 aos 50 anos e é rastreável pelos exames de rotina. São poucos os casos que necessitam de intervenção cirúrgica. Normalmente, o médico apenas realiza acompanhamento semestral para conferir se houve crescimento da lesão;
  • Hemangioma hepático: principal tipo de nódulo hepático benigno, é uma condição congênita que acarreta a malformação dos vasos sanguíneos. A cirurgia para retirada do nódulo evita dores intensas e até mesmo rompimento (e hemorragia);
  • Adenoma hepático: tumor raro que acomete mulheres entre os 20 e 40 anos, tem relação com o uso de pílula anticoncepcional e anabolizantes, por exemplo. É bastante comum que as pacientes se queixem de dor abdominal e, por isso, o médico pode solicitar exames de imagem.

“As causas malignas, no entanto, merecem atenção especial pois podem significar doenças graves como metástases de câncer, muitas vezes ainda não diagnosticado. Em pacientes com quadro hepático, como hepatite ou cirrose, os nódulos podem fazer parte do processo natural de recuperação, mas também representar tumores primários do fígado", ressalta.

Independentemente do local onde um caroço apareça, não deixe de consultar seu médico e relatar caso haja sintomas associados. 

Estrutura do Hospital São Lucas Copacabana

O Hospital São Lucas Copacabana conta com parque tecnológico recém- reformado e estrutura completa para o diagnóstico de qualquer tipo de nódulo. Além disso, dispõe das mais avançadas tecnologias para fusão de imagens e setor dedicado para a realização de biópsias. Somado a isso, o time especializado proporciona segurança e bem-estar durante toda a linha de cuidado, incluindo a equipe de patologia, que realiza análises rápidas e precisas.

No Centro Médico São Lucas, na Gávea, você encontra diversas especialidades e atenção multidisciplinar completa. Para saber mais, entre em contato com a nossa Central de Atendimento pelo número (21) 2545-4000 (opção 2).

Veja mais