Logon
Blog

Os benefícios dos principais alimentos da ceia de Natal

Confira o bem que o tender, a lentilha e outras comidas típicas da época podem fazer à saúde

Além de muito saborosa, a ceia de Natal, repleta de pratos pouco comuns durante o resto do ano, também pode trazer benefícios notáveis para a saúde. Isso porque muitos alimentos usados nas receitas, como as cerejas e os damascos, são ricos em vitaminas e minerais que nutrem o corpo sem deixar de lado o sabor. Porém, tudo deve ser consumido com moderação para não ocorrer o efeito contrário.

A nutricionista Rita Maciel, do Hospital São Lucas Copacabana, elege os benefícios dos principais alimentos da ceia de Natal, a seguir.

Peru: um dos queridinhos das festas de fim de ano, o peru é rico em proteínas, ferro, fósforo, zinco e potássio e pobre em gorduras. Além disso, a carne também tem bastante vitamina B6 e ajuda na preservação do sistema imunológico.

Tender: outra proteína muito apreciada é o tender, que tem baixo teor de colesterol e traz consigo diversos minerais essenciais, como o magnésio e todos aqueles encontrados no peru. Sendo carne de porco de corte magro, o tender é uma opção mais saudável se comparado com as carnes bovinas e o frango.

Lentilha: seja em sua versão em sopa ou misturada no arroz, não é por acaso que a lentilha é apreciada por muitos. Além de ser uma fonte de fibras, que ajuda no funcionamento do intestino, ela também previne a anemia por ser rica em ferro e, por conta da arginina, é uma ótima fonte para aumentar as defesas do organismo.

Cereja: presente em várias receitas doces da ceia e também no próprio peru, as cerejas têm efeito anti-inflamatório e antioxidante que fortalece a saúde e combate as doenças neurológicas e o envelhecimento precoce. Os pacientes cardíacos também tiram proveito da fruta por ser uma boa fonte de zinco, ferro e potássio, o que regula a pressão arterial e os batimentos cardíacos.

Damasco: além de delicioso, o damasco ajuda a prevenir o câncer por ser uma fonte de carotenoides. Seus níveis de vitamina A e betacaroteno também são satisfatórios, mas é bom evitar a versão seca da fruta, já que, muitas vezes, sofre a adição de açúcar. Prefira sempre a fruta natural.

Romã: assim como a cereja, essa fruta também tem um bom nível de flavonoides e vitamina C, potencializando seu caráter antioxidante e ajudando a combater os radicais livres.

Nozes: em porções pequenas, já que são ricas em gorduras, as nozes trazem uma quantidade elevada de ômega 3 e 6 em sua composição, fortalecendo a atividade cerebral e preservando as funções cognitivas. São ricas também em vitaminas do complexo B, C e E, zinco e fibras.


Veja mais