Logon
Blog

Outubro Rosa: tudo o que você precisa saber sobre o câncer de mama

Campanha visa conscientizar a população sobre tratamentos e importância da detecção precoce

​O câncer de mama é um dos tipos de câncer com maior incidência no mundo. Para estimular a discussão sobre o assunto, o Outubro Rosa marca o calendário de saúde para conscientizar a população sobre as formas de tratamento, a importância da detecção precoce e, principalmente, da prevenção. Mas, afinal, o que é câncer de mama?

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), a doença fica em segundo lugar no ranking dos tumores mais frequentes entre as mulheres, atrás apenas do câncer de pele não melanoma. Ele se desenvolve com base em uma mutação genética que deixa a célula defeituosa e causa multiplicação desordenada, originando o tumor.

“Essa proliferação das células anormais pode ser rápida ou lenta, mas, em ambos os casos, é muito importante que a doença seja detectada o mais cedo possível. Quanto mais precocemente ela for tratada, maiores são as chances de sucesso do tratamento e, consequentemente, a cura”, explica o dr. Frederico Müller, oncologista do Hospital São Lucas Copacabana.

A realização da mamografia de rastreamento e as visitas regulares ao ginecologista são as melhores formas de garantir o diagnóstico precoce. Quem já tem casos de câncer de mama na família pode começar a se precaver mais cedo. No autoexame, a paciente deve buscar nódulos ou caroços na região dos seios e na axila. Inchaço, endurecimento, coceira, vermelhidão e sensação de calor nas mamas são outros sintomas que devem ser observados com atenção.

“Uma vez detectado o câncer de mama, o especialista deve ser consultado para definir a melhor abordagem de tratamento. Entre as mais comuns estão a cirurgia, quimioterapia e radioterapia, mas, dependendo do estágio do tumor e da condição geral da paciente, elas podem ser combinadas”, afirma o médico.

O grupo de risco com mais chances de desenvolver câncer de mama são as pacientes entre 40 e 70 anos, principalmente quem teve casos na família. Reduzir a bebida alcoólica, combater a obesidade e ter uma rotina de vida saudável ajuda a prevenir a doença.



Veja mais