Logon
Blog

Qual a quantidade de sal de que o organismo realmente precisa?

Tanto o excesso quanto a falta do alimento podem ser perigosos para a saúde

​Quando o assunto é alimentação saudável, muito se discute sobre qual é a quantidade ideal de sal a ser consumida diariamente. Diante de uma oferta cada vez maior de itens industrializados – que contêm altos índices de sódio como conservante –, especialistas do mundo todo estão alertando para o consumo excessivo de sal e o que ele pode causar no organismo. Porém, o que pouco se discute é qual a mudança que a falta de sal pode oferecer à saúde.

Segundo o dr. Alexandre Rouge, coordenador da Cardiologia do Hospital São Lucas Copacabana, é recomendado que a quantidade de   sal que colocamos nos alimentos, o chamado sal de adição (ou de cozinha), seja em torno de 6g por dia (1,7g de sódio). Porém, é visto que a maioria dos países registra níveis mais altos, como 8g no Reino Unido e 8,5g nos Estados Unidos. Algumas pessoas chegam a ingerir o dobro ou o triplo dessa quantidade em sua dieta e, nesse caso, o sódio passa a ter seu efeito danoso.

“Estudos constantes reforçam que o alto índice de sal na dieta pode contribuir para o desenvolvimento da hipertensão arterial sistêmica, a pressão alta,  fator de risco para diversas doenças cardiovasculares, como o derrame e as doenças coronarianas. Se essa dieta hiperssódica permanece por muito tempo, as chances de o indivíduo desenvolver uma doença cardiovascular também crescem”, explica o médico.

Essa quantidade engloba tanto o sal posto na comida quanto o sal que já vem introduzido nos alimentos industrializados e processados, o que dificulta o controle no consumo diário. Então, o pensamento que costuma surgir, nesse caso, é que a ingesta de sal precisa ser reduzida consideravelmente. Porém, esse cenário também pode ser perigoso, então, é importante manter uma alimentação rica em produtos naturais (legumes e saladas frescas, carnes frescas e grãos, sucos naturais) e evitar a facilidade dos processados.

“Por outro lado, o sódio encontrado no sal é muito importante para manter o transporte de nutrientes e oxigênio pelo organismo e a homeostase hidroeletrolítica, além de prezar pela condução dos impulsos nervosos. Quando o corpo não recebe a quantidade ideal de sódio indicada, que deve ser em torno de 1,7g, ele também poderá sofrer”, afirma o dr. Rouge.

Ainda não existem pesquisas suficientes que expressem os malefícios da redução drástica de sal na dieta, mas os especialistas recomendam que a regra seja o equilíbrio. Segundo o dr. Rouge, é indicado que as pessoas não consumam muito sal, nem o eliminem da dieta, mantendo a moderação – em torno de 6g de sal por dia, cerca de duas colheres de chá – para garantir a quantidade necessária de sódio no corpo.​


Veja mais