Logon
Blog

Qual o tratamento do câncer de próstata? Entenda como funciona e o que deve ser feito

Silenciosa, a neoplasia manifesta sintomas apenas em estágios mais avançados. Diagnóstico precoce com o urologista é fundamental para o sucesso do tratamen


O câncer na próstata é a neoplasia mais comum entre os homens e, de acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), até 2022, anualmente, surgirão 65.840 novos casos. Visto que, em comparação com as mulheres, eles cuidam menos da saúde, a campanha Novembro Azul tem como objetivo incentivar a população masculina a estar em dia com suas consultas e exames, a fim de prevenir doenças ou descobrir precocemente alterações, como o próprio câncer.

Saiba como é o diagnóstico do câncer de próstata e quais as opções de tratamento atuais no texto a seguir. 

O que é câncer de próstata?

A próstata faz parte do sistema reprodutor masculino e sua função é produzir e armazenar secreções que formam o líquido seminal.

O câncer de próstata é uma neoplasia maligna que se desenvolve lentamente e não costuma manifestar sinais ou sintomas em sua fase inicial. Por isso, é importante visitar um urologista com regularidade e, a partir dos 50 anos, se submeter ao exame físico (toque retal) e laboratorial (dosagem de PSA). Para homens com ascendência africana ou com histórico desse câncer na família, o indicado é a partir dos 45. 

Quais são os sintomas do câncer de próstata?

Normalmente, os sintomas do câncer de próstata só aparecem quando a doença está numa fase mais avançada. As manifestações incluem dor lombar, sangramento na urina ou no sêmen ou dificuldade para urinar. No entanto, são necessários uma avaliação geral dos sintomas e exame físico, além de análises laboratoriais para o diagnóstico correto. 

Como prevenir o câncer de próstata?

Alimentação balanceada e prática regular de exercícios físicos são capazes de evitar diversas enfermidades, e com o câncer de próstata não é diferente. Diversos estudos demonstram que a obesidade e o tabagismo são fatores de risco para o câncer e estão relacionados com o diagnóstico tardio e o desenvolvimento de doenças de alto risco, levando a altas taxas de falha no tratamento e, consequentemente, maior mortalidade. 

Qual o tratamento para o câncer de próstata?

O tratamento para o câncer de próstata é definido levando-se em consideração o estágio da doença, assim como a idade e as condições clínicas do paciente. 

Estágios da doença

O Dr. Claudio Ahouagi, urologista do São Lucas Copacabana, explica: “O câncer na próstata pode ser classificado como uma doença de risco baixo, moderado e alto. O valor do PSA (antígeno prostático específico) e o grau de diferenciação do tumor, identificado depois da biópsia (escores de Gleason), são dados para o estabelecimento desse risco e do estágio em que se encontra a doença, norteando o tratamento que o urologista vai realizar nesse paciente. O exame digital retal ou toque retal também contribui para uma avaliação completa do estágio tumoral, assim como auxilia na exclusão de doença localmente avançada. Algumas opções de tratamento são a radioterapia e hormonioterapia", comenta. 

Cirurgia robótica para o câncer de próstata

O grande diferencial da cirurgia videolaparoscópica robótica é a possibilidade de realizar procedimentos complexos por meio de pequenas incisões, o que torna o processo menos invasivo.

A cirurgia robótica já é utilizada em diversos tratamentos oncológicos, como naqueles do aparelho digestivo, ginecológico, torácico e pulmonar.

“Nesse caso específico, a cirurgia robótica de próstata tem potencial de levar à cura, com taxas de preservação da função erétil e continência urinária muito altas. Além disso, a recuperação do paciente no pós-operatório é rápida, com alta hospitalar em até dois dias, com a retomada de suas atividades precocemente. Nas cirurgias de doença localmente avançada, a plataforma robótica facilita a visualização das estruturas acometidas, levando a um resultado oncológico satisfatório."

O Hospital São Lucas Copacabana conta com um centro de referência em treinamento para cirurgiões e um dos programas com o maior volume de cirurgias robóticas no estado do Rio de Janeiro. Aqui utilizamos o robô DaVinci, juntamente com o software Firefly, que permite avaliar a vascularização dos tecidos.​

Veja mais