Logon
Blog

Você sabe o que é crudivorismo?

Estilo de vida com alimentação crua ganha cada vez mais espaço no Brasil

​Ter uma alimentação baseada em alimentos crus faz parte de um movimento chamado raw food, criado nos Estados Unidos na década de 1990 – conhecido no Brasil como crudivorismo. O princípio da alimentação viva considera que os alimentos devem ser consumidos in natura, ou seja, sem precisar de cozimento. Esta regra não se aplica somente aos grãos, que devem ser germinados ou cozidos a uma temperatura até 40 ºC – acima disso, o consumo prejudica a preservação das enzimas e dificulta a digestão.

Quem opta por esse estilo de vida escolhe alimentos frescos, crus ou desidratados, incluindo vegetais, grãos germinados ou brotos como alfafa, arroz, trigo e grão de bico, além de alguns produtos de origem animal como mel e laticínios. De acordo com Flávia da Costa Primo Burity, coordenadora de Nutrição do Hospital São Lucas Copacabana, o estilo raw food tem sido adotado por ser uma alimentação mais natural, adotada muitas vezes como dieta de emagrecimento. Confira abaixo alguns exemplos de alimentação crudivorista:

  • Cereais e leguminosas;

  • Frutas in natura, desidratadas e sucos;

  • Alimentos fermentados;

  • Legumes e verduras cruas;

  • Oleaginosas, como nozes, castanhas, amêndoas cruas;

  • Derivados de oleaginosas, como bebidas e manteigas;

  • Sementes e brotos;

  • Óleos prensados a frio, como azeite de oliva e de coco;

  • Algas marinhas;

  • Carnes e peixes crus;

  • Ovos e laticínios crus que não passaram por pasteurização.

Além dos alimentos do crudivorismo serem vivos e crus, também devem ser orgânicos, ou seja, livres de toxinas que podem prejudicar o organismo. Os adeptos desta alimentação não a consideram apenas como uma dieta, mas um estilo de vida mais saudável. Além disso, a rapidez e a praticidade para o preparo dos alimentos é outro benefício do crudivorismo, uma vez que basta higienizá-los para então consumi-los – dispensando o uso de eletricidade ou gás para o preparo.

Segundo Flavia, quando o alimento é cozido, costuma perder grande percentual de enzimas e nutrientes e isso dificulta o processo digestivo. Uma dieta baseada em alimentos crus, portanto, disponibiliza uma quantidade maior de nutrientes, beneficiando a saúde.

Prós e contras do estilo de vida crudivorista

De acordo com a nutricionista, existem prós e contras da dieta crudívora, assim como qualquer outro estilo de alimentação. Pessoas adeptas aos alimentos crus possuem nível elevado de homocisteína, que causa desordem no organismo, como hipertensão arterial, ataque cardíaco ou acidente vascular cerebral (AVC). Além disso, adeptos do crudivorismo também têm diminuídos os níveis de colesterol HDL (o bom colesterol) devido à deficiência de vitamina B12.

 

Os benefícios deste cardápio incluem a vasta opção de vegetais, legumes e frutas, além de excluir do dia a dia o consumo de alimentos ultra processados, que prejudicam a saúde e estão entre os mais consumidos pelos brasileiros. O problema se dá quando o crudivorismo é usado como uma dieta de emagrecimento e acaba causando um déficit de vitaminas e minerais no organismo.

Benefícios da alimentação

Os adeptos do crudivorismo consideram que esse tipo de alimentação beneficia a disposição, previne doenças crônicas (como diabetes e obesidade) e faz melhor uso dos nutrientes presentes nos alimentos.

Segundo a nutricionista, qualquer hábito alimentar escolhido deve ser estudado e não ser seguido por modismos. Algumas pessoas podem desenvolver problemas de saúde por adquirirem hábitos muito restritos e por longo período. Apesar de qualquer pessoa poder iniciar este estilo de vida, é recomendado que o paciente passe por uma avaliação médica e faça acompanhamento com um nutricionista para manter a saúde e a qualidade de vida.


Veja mais